Conheçam nosso novo site.

Conheçam nosso novo site.
O NOSSO BLOG AGORA VIROU UM PORTAL DE NOTICIAS. ----------------------Aqui ficaram arquivadas as matérias antigas do Blog, se você quiser acompanhar as novas matérias do novo portal “Plantão JTI” clique na imagem acima ou é só acessar o novo site através deste endereço www.plantaojti.com.br

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

A incrível história contada pelo aposentado que havia desaparecido em Jataí


Saulo Prado entrevistando o senhor  Manoel Pereira da Silva

No dia 13 de dezembro, o Plantão de Policia JTI publicou a matéria do aposentado Manoel Pereira da Silva, que  havia desaparecido quando foi receber a sua aposentadoria, no dia 02 de dezembro.
Casa do senhor Manoel
Após dezessete dias desaparecido o senhor Manoel voltou para sua casa nesta quarta-feira (19/12), depois de viver a maior aventura de sua vida.
Em entrevista a nossa equipe o senhor Manoel contou como tudo aconteceu; leia a entrevista: 

Senhor Manoel como tudo aconteceu?  

Resposta: Olha, eu fui ao banco tirei o dinheiro no caixa, e fui até a secretaria de saúde no antigo fórum de Jataí, quando eu saí de lá, dois homens me abordaram com uma arma e mandou que eu entrasse em um carro. Eu disse que eles deviam estar enganados e eles me responderam que não, que eles haviam me visto sacar o dinheiro no banco e queriam o dinheiro, e que se eu gritasse eu morreria.

E depois?
Resposta:    Eles pegaram o meu dinheiro, uma quantia de Quinhentos e Quarenta Reais, e falou que seu eu saísse do carro ou gritasse, eles me matariam, e saiu para fora da cidade; isto aconteceu no dia 02 dezembro, as 10 horas da manhã, depois deste momento eles ficaram andando comigo dentro do carro durante quatro dias, passamos por Alto Araguaia- MT.

Senhor Manoel então quer dizer que eles não vendaram os seus olhos?

Resposta: Não, eles só puseram a mão em mim, para entrar no carro; como eu estava apavorado não conseguir ver qual era a marca do carro e nem a placa, após viajar um período, um deles disse, vamos solta-lo, e o outro respondeu que não, que se me soltassem  poderia dar complicações para eles. E aí continuamos a viajem que durou quatro dias. 

Eles pararam em algum posto para abastecer o veiculo; como foi durante estes quatros dias? 

Resposta: Eles não pararam em nenhum posto, eles estavam carregando gasolina em galões dentro do carro, e quando necessário paravam em qualquer lugar e abastecia o veiculo; eles andavam a noite e durante o dia paravam no mato para dormir, para comer eles me davam pão velho, e eu fiquei o tempo todo preso dentro do carro, teve momentos que cheguei a desmaiar, pois eles fumavam um cigarro fedido, que possivelmente era droga.  Eu fui solto para frente de Rondonópolis-MT em uma mata.

Como foi que eles te soltaram; o que eles te disseram?

Resposta: Eles me soltaram por volta da meia noite dentro de um mato, e falaram para eu me se virá.    Disse a eles; mas vocês tomaram o meu dinheiro, e eles me mandaram calar a boca com esta historia de dinheiro, se não eu iria morrer, e me alertaram que se eu contasse a alguém esta historia, eles iriam atrás de mim e me matariam.  
Eu  fiquei lá neste local desorientado, a minha sorte é que eles não levaram os meus documentos, ai eu consegui sair em uma estrada asfaltada, mas sem saber qual direção seguir, e comecei a caminhar sem receber nenhuma carona dos carros que passavam, quando conseguir chegar à uma cidade o dia estava amanhecendo, foi ai que eu descobri que estava em Rondonópolis em Mato Grosso. Com medo de ser morto, não tive coragem de contar o que havia acontecido para ninguém, pois eles haviam-me dito, que se eu contasse para alguém que eles haviam me deixado lá, eles me matariam, e eu invoquei com aquilo, que eles iriam me matar e não tive coragem de procurar a policia e nem contar nada a ninguém.  
(Neste momento tivemos que dar uma pausa na entrevista, pois o senhor Manoel começou a chorar compulsivamente, pois como ele mesmo disse nunca havia passado por uma situação como está)

 Continuando o senhor Manoel disse; Eu fiquei lá em Rondonópolis, após dizer a um homem que eu  era de Jataí e estava perdido, ele me deixou tomar banho em sua casa, me deu refeição e me deu uma roupa para vestir, e ai uma menininha bem pequena me deu uma sacola para que eu carregasse a minha roupa, e isso me emocionou muito. Vendo o meu desespero o homem me deu 50 reais dizendo que este dinheiro daria para eu comprar uma passagem até Itajá em Goiás, e ai eu segui viajem passei por Cassilândia que eu já conhecia e cheguei a Itajá.  
  

E de Itajá para chegar a Jataí como foi?

Resposta:  La em Itajá eu encostei na parede de uma loja, e fiquei sem saber o que fazer, com muita fome e vontade de fumar, de tomar um café, foi quando percebei que a dona da loja estava me olhando e pensei; ela vai me manda ir embora, quando eu fui saindo ela me indagou se eu estava com fome, eu disse que sim, e ela me deu uma refeição,  e além disso me deu uma coberta e uma rede.
O dinheiro que havia sobrado deu para que eu comprasse uma  passagem até Itarumã, chegando lá em Itarumã, pensei; agora eu tenho que arrumar um serviço para ganhar  dinheiro para acabar de chegar em Jataí, pedi ajuda a um homem de um posto e contei para ele toda a historia, e pedi a ele, para que ele não contassem a ninguém, pois eu ainda estava com medo, tentamos ligar para a minha família, mas a ligação não dava certo, o homem do posto me indicou a um fazendeiro, que precisava de um tratorista. Aceitei o serviço, trabalhei quinta, sexta e sábado na fazenda deste homem, e pensei este dinheiro já da para eu ir embora, o fazendeiro me levou de volta para Itarumã, queria que eu fizesse outro serviço para ele, mas como eu sabia que minha família estava desesperada, disse que não, e vim embora para Jataí.

Como foi a chegada em Jataí, senhor Manoel?

Resposta:  Cheguei na rodoviária e consegui ligar e avisar uma filha minha que estava chegando, mas não conseguir explicar melhor, pois a ligação caiu, peguei um moto-táxi e vim para minha casa, chegando aqui, fiquei sabendo que minha esposa não acreditava mais que eu estava vivo, e que toda família estava em desespero a minha procura, a minha mulher chegava a ir para beira do mato a procura de carniça achando que era meu corpo.
Senhor Manoel e sua esposa
Como o dinheiro de nosso sustento, havia sido levado pelos bandidos a minha família estava passando falta das coisas.  Foi à situação mais horrível que passei em minha vida, nem quando eu vim da Bahia para cá, eu passei por tanto sofrimento, teve momentos que eu achei que estava ficando loco. Mas graças a Deus estou junto com minha família.


Delegada Paula Ruza (foto arquivo)
A nossa equipe de reportagem procurou a delegada Paula Ruza que está investigando o caso do desaparecimento do senhor Manoel, ela nós disse, que ainda não ouviu o depoimento do senhor Manoel, e que só depois de ouvir a sua versão, que ela falaria oficialmente sobre o caso, a nossa equipe recebeu informações de fonte não oficiais, que possivelmente existe outra versão para esta historia; vamos aguardar a apuração da policia civil.  


Por/Saulo Prado

Imagens/ Carlos A. Cabral



5 comentários:

  1. Engraçado. A esposa dele contou à minha mãe que ele tinha sido visto pelo genro dele no Bretas de braços dados com uma mulher e que ele havia era fugido pra morar com essa outra.

    ResponderExcluir

Buscado cada vez mais interatividade com os seus leitores; o “Plantão de Policia JTI” agora disponibiliza duas caixas de comentários, a caixa especifica do site, e também a caixa de comentário do Facebook.

“NÃO MAIS SERÃO ACEITOS OS COMENTÁRIOS ANÔNIMOS OFENSIVOS A TERCEIROS NO PLANTÃO DE POLICIA JTI “

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google+ Followers